Relógio
Coaching, Mudança Comportamental

O que aconteceria se todas as pessoas morressem em seus aniversários?

Imagine só: uma lei da natureza, as pessoas vivem ciclos redondos de um ano e inevitavelmente morrem ao final de algum deles. Todos sabem o dia de sua morte, apenas não sabem o ano.

Todo ano, alguns dias antes do seu aniversário, você sabe que aquele poderá ser o dia fatídico!

Chega o dia, aquela ansiedade, aquele questionamento: será que é hoje? Acaba o dia, ufa! Não foi! Tenho pelo menos mais um ano de vida!

E aí, cada vez que seu aniversário está alguns meses mais próximo, você sabe que pode morrer em breve. Então você começa a aproveitar cada segundo, fazer tudo o que realmente deseja, pois… sabe-se lá quanto tempo mais irá durar!

Diz praquela pessoa que sempre gostou dela, pois não tem nada a perder.

Diz pra sua família que os ama, que eles são realmente importantes pra você.

Diz pros seus amigos o quanto eles são essenciais pra você e fazem a diferença na sua vida.

Olha pro seu trabalho insosso e decide: chega, estou saindo.

Lembra daquele antigo sonho que esteve sempre guardado na gaveta, ignorado, pegando pó, e decide: É isso! Vou fazer isso da minha vida, nos poucos meses que talvez me restem. E vai fazer o que realmente quer.

E aí, a cada aniversário seu que passa, você se sente grato por não ter morrido naquele dia, por ter ao menos mais um ano de vida! Os anos vão passando, e você vai fazendo cada vez mais apenas o que faz sentido, o que realmente deseja, o que sabe que importa. E se sente mais grato por viver. Até aquele aniversário em que você de fato morre. Você tem uma morte feliz e tranquila, sem arrependimentos, sabendo que fez tudo o que queria e que teve uma vida realmente incrível.

 

Agora, vamos olhar pra esses devaneios e pensar: Nós não sabemos quando nosso tempo nesta existência acaba. Se é daqui a 50, 20, 5 anos, 2 semanas, 1 dia. Será que estamos vivendo o que realmente desejamos? Será que estamos empurrando com a barriga aquele sonho, aquela decisão? Será que, no dia da nossa morte, seja ele quando for, estaremos arrependidos por algo que não fizemos, ou gostaríamos de ter feito diferente?

Que tal se olhássemos para cada um dos nossos dias como verdadeiros presentes que o Universo nos dá? Que tal se fôssemos gratos por cada um dos dias que vivemos, por cada uma das oportunidades que nos é apresentada e que temos a escolha de como aproveitar? Que tal se fizéssemos, todos, o que faz realmente sentido para nós?

Que tal?

Posts relacionados